São Paulo, SP

Mommyrexia – um novo termo para grávidas que não querem aumentar de peso

Tendência das famosas grávidas muito magras preocupa especialistas sobre saúde da mãe e do feto

Juliana Câmara (juliana.camara@oglobo.com.br)


Grávidas magras/ Reuters

RIO – O que Natalie Portman, Victoria Beckham e Carla Bruni têm em comum? Elas são ricas, bonitas, famosas e magras. Magras até quando estão grávidas. Pernas e braços finos, quase sem gordura e inchaço, e uma barriga redondinha têm sido exibidos pelas celebridades durante os nove meses de gestação. Esse é o sonho da maioria das mulheres que engravida, mas concretizá-lo depende de uma boa dose de genética, além de investimentos, um estilo de vida saudável e acompanhamento médico. O culto à boa forma das famosas grávidas é tanto que pode gerar distorções na cabeça das gestantes da vida real. Em busca de um corpo bonito, algumas delas podem cometer exageros que comprometam a sua saúde e a do bebê.

FOTOGALERIA:Uma lista de famosas muito magras

Exercícios e alimentação controlados são muito bem-vindos, claro. Mas eles devem estar a serviço do bem-estar e não da estética, defende a nutricionista Roseli Costa, do ambulatório de nutrição pré-natal do Instituto Fernandes Figueira, da Fiocruz:

– Na gestação, a gente não se preocupa com a estética, mas sim com a saúde materna e fetal. Se você tiver uma alimentação adequada, terá também uma estética apropriada.

Grávidas magras/ Divulgação

A lista de famosas que conseguem se manter magras na gravidez é grande. Inclui também a personal stylist de celebridades Rachel Zoe, a atriz Selma Blair, e as brasileiras Letícia Birkheuer, Juliana Silveira e Daniele Suzuki. Isso para citar as mais recentes. Carla Bruni, ainda grávida, e Gisele Bündchen, que teve Benjamin em 2009, esconderam as gestações até elas estarem bem avançadas, e provocaram discussões na mídia internacional sobre se estavam ou não à espera de um bebê. Em 2008, a apresentadora Fernanda Lima ficou grávida de gêmeos e, mesmo assim, exibiu um corpão. Um ano depois, a cantora Claudia Leitte deu à luz depois de uma gravidez exuberante e chegou a levantar rumores de que havia feito plástica logo depois do parto, já que recuperou a forma de antes muito rápido.

Essa tendência levou especialistas americanos e europeus a discutirem o que eles chamam de “mommyrexia”. É claro que as celebridades têm uma relação diferente com o corpo, já que trabalham com a imagem. Mas, para muitos, a vaidade e a obsessão de algumas mulheres por serem admiradas e desejadas se estendem para a gravidez, e influenciam a relação das outras gestantes com seus próprios corpos.

– Vivemos numa sociedade que não tolera um corpo que sofre mudanças para receber a criança. Às vezes, vemos grávidas frenéticas no spinnig, e imaginamos a tolerância dessa pessoa com um corpo que vai estar deformado durante um tempo – diz Joana de Vilhena Novaes, coordenadora do Núcleo de Doenças da Beleza da PUC-Rio.

Grávidas magras/ Divulgação

Isso não significa que a preocupação em se sentir bonita e desejada são ruins. O problema está no exagero. Alimentação controlada não é sinônimo de dieta e a mãe precisa garantir que o feto receba todos os nutrientes necessários, como proteína, ferro, minerais e vitaminas. Do contrário, poderá ficar abaixo do peso.

Ioga e hidroginástica garantem bem-estarAté alguns anos atrás, acreditava-se que o ideal era ganhar de nove a 12 quilos ao longo da gravidez. Mas esse cálculo agora é feito com base no Índice de Massa Corporal (IMC) pré-gestação, ou seja, varia de pessoa para pessoa. A carga de exercícios também é individualizada e depende do quão ativa você era antes de engravidar. Os mais comuns são caminhadas, corridas moderadas, hidroginástica e ioga, que garantem bem-estar sem exaurir o corpo.

– O cansaço estimula o útero a se contrair e aumenta a possibilidade de um parto antes da hora. A ideia da atividade física na gravidez não é fazer da mulher uma atleta, e sim evitar que ela seja sedentária, desde que não haja contraindicações – ensina Carlos Dale, ginecologista obstetra e médico do Instituto Fernandes Figueira.

E, para as mais desesperadas, os médicos não cansam de repetir que, sim, o corpo volta ao normal durante a amamentação.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/vivermelhor/mat/2011/09/09/tendencia-das-famosas-gravidas-muito-magras-preocupa-especialistas-sobre-saude-da-mae-do-feto-925321323.asp#ixzz1XrIHcx2Q
© 1996 – 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. 

0

Deixe um comentário