São Paulo, SP

Alimentação para a TPM

Nutricionista Marina Prieto

A síndrome pré-menstrual (ou tensão pré-menstrual), que afeta milhões de mulheres em idade reprodutiva, é caracterizada por um complexo de sintomas físicos, cognitivos e emocionais que ocorrem durante a fase lútea do ciclo menstrual e diminuem rapidamente com o inicio da menstruação.

O objetivo do tratamento para a síndrome pré-menstrual é melhorar ou eliminar os sintomas, reduzir seus impactos nas atividades diárias e relacionamentos da mulher e minimizar os efeitos adversos do tratamento.
Diversas estratégias para o tratamento desta síndrome têm sido propostas. Nos casos em que os sintomas são leves, educação e terapia de acompanhamento, além de medidas como aumento na prática de atividade física e consumo de dietas saudáveis, podem ser efetivos.
Evidências científicas têm mostrado que tais sintomas podem ser amenizados com uma dieta contendo alguns alimentos que ajudam a evitar estes agravantes.
O objetivo do tratamento para a síndrome pré-menstrual é melhorar ou eliminar os sintomas, reduzir seu impacto nas atividades diárias e relacionamentos e minimizar os efeitos adversos do tratamento. A primeira opção de tratamento deve ser aquele não farmacológico. O uso de drogas deve ficar restrito a mulheres com sintomas persistentes e àquelas que apresentam diagnóstico de
síndrome disfórica pré-menstrual.

Os principais elementos relacionados com a prevenção dos sintomas da TPM são:

Carboidratos: É recomendado que durante o período pré-menstrual, as mulheres consumam refeições pequenas e freqüentes, ricas em carboidratos integrais, com o objetivo de melhorar alguns sintomas como tensão e depressão. A ingestão de carboidratos aumenta a biodisponibilidade de triptofano, hormônio
precursor da serotonina (associado à sensação de bem-estar). Boas fontes: cereais integrais

Vitamina B6: atua como co-fator na formação de serotonina (hormônio que está associado à sensação de bem-estar) e por esse motivo poderia exercer efeitos benéficos sobre a síndrome pré-menstrual, principalmente naqueles associados com alteração de humor.

Boas fontes: arroz integral, germe de trigo, aveia, amendoim, nozes, batata, banana, salmão, atum.

Vitamina E: pode aliviar sintomas como ansiedade e sensibilidade mamária por meio de seus efeitos na síntese de prostaglandinas ou na regulação dos neurotransmissores centrais Devido ao seu alto potencial antioxidante é considerada pelo Colégio Americano de Obstétrica e Ginecologia como um importante tratamento para os sintomas da síndrome pré-menstrual.

Boas fontes: cereais integrais, noz, castanhas, azeite de oliva, azeitona, óleo de soja e de girassol, milho, gema de ovo, agrião.

Cálcio: Distúrbios na regulação do cálcio podem estar envolvidos com as características patofisiológicas da síndrome pré-menstrual e a suplementação de cálcio parece ser uma terapia efetiva para alivio de cólicas, e alterações de humor.

Boas fontes: leite e derivados, vegetais e folhas verde escuro, como couve e brócolis.

Magnésio: tem função complementar às funções do cálcio e previne os ataques de compulsão.
Por estar envolvido na atividade da serotonina e de outros neurotransmissores, na contração vascular, na função neuromuscular e na estabilidade da membrana celular, sua deficiência poderá influenciar os sintomas da síndrome pré-menstrual por diversas vias metabólicas.

Boas fontes: folhas verdes escuras, oleaginosas e cereais integrais.

Manganês: dietas pobres em manganês aumentam os sintomas de mau humor e dor.

Boas fontes: castanhas, nozes, folhas verdes, cereais integrais. Ácidos graxos de cadeia longa: Reduzem a irritabilidade e dores nas mamas.

Boas fontes: óleo de peixe marinho e frutos do mar (ricos em ômega 6 e ômega 3). Excelentes fontes de ômega 3 são os peixes (como anchova, carpa, salmão, sardinha e atum), os frutos do mar e o óleo de canola. Já as de ômega 6 são as semente e oleaginosas, óleo de milho, girassol e soja. A suplementação com óleo de prímula tem sido indicada para a redução dos sintomas da síndrome pré-menstrual, devido à sua composição nutricional. Outras recomendações:

É importante evitar o consumo de alimentos ricos em gordura, sal, (embutidos e conservas), açúcares e alimentos que contém cafeína (café, chá preto e mate, coca-cola e guaraná), pois são agravantes do quadro da síndrome pré-menstrual. Alem disso, é de fundamental importância a pratica de atividade física regular.

Conclusão: As modificações positivas nos hábitos dietéticos e no estilo de vida podem ser consideradas como o tratamento de primeira linha para os sintomas da síndrome pré-menstrual, especialmente quando estes não são severos e não precisam de uma terapia farmacológica. Uma alimentação balanceada e rica nos nutrientes acima citados é a base para melhorar estes desagradáveis sintomas e consequentemente proporcionar uma melhor qualidade de vida.

A nutricionista MArina Prieto faz parte de nossa equipe, entre em contato: 11 2778-3500 ou valeria@metodogerar.com.br/novo

0

Comentários (1)

gostei muito deste site e gostaria de receber mais informaçoes sobre como tratar a tpm
dicas, de alimen tação exercicios fisicos para aliviar os sintomas, etc.

Deixe um comentário